Você está em: página principal | os métodos e resultados
  • A equipa
  • Os objectivos
  • Galeria de fotos
  • Visualize alguns momentos protagonizados pela equipa do projecto, através dos vídeos recolhidos nas saídas de campo.
    Visualizar vídeos +

    « Retroceder ao início

    No plano de amostragem foram utilizados três métodos de amostragem:

    1. Censos visuais por transectos subaquáticos para a ictiofauna e macroinvertebrados bentónicos do substrato rochoso;

    2. Método dos quadrados para a percentagem de cobertura vegetal do substrato rochoso;

    3. Arrasto de vara para a ictiofauna e macroinvertebrados bentónicos dos substratos móveis (areias finas, médias e grosseiras).

    Recorreu‐se à análise multivariada para o tratamento de dados básico, à geoestatistica e aos modelos aditivos generalizados para cartografar várias variáveis analisadas (diversidade, densidades) e indicadores criados para o efeito, como o índice de importância ecológica.

    Conheça melhor as metodologias e equipamentos utilizados através de fotografias +

    O estudo e cartografia dos fundos marinhos dos 0 aos 30 m de profundidade da Galé à Foz do rio Arade (RENSUB III) permitiram identificar um total de 814 espécies correspondentes a 116 peixes , 649 de macroinvertebrados bentónicos e 49 algas, acrescentando 166 espécies novas às fases anteriores deste estudo (RENSUB I e II), totalizando agora cerca de 1319 espécies, aumentando aquele que o já constitui o maior inventário de espécies marinhas da costa algarvia e um dos maiores a nível nacional.

    Neste levantamento faunístico, 131 espécies apresentam valor comercial, 182 se considerarmos todas as fases do RENSUB. Do conjunto de espécies com interesse comercial 33 apresentam ainda interesse ornamental (aquariofilia e coleccionismo) e 22 para produção de componentes biomedicinais.

    Seguindo aclassificação do ICN (1993) foram registadas 24 espécies“comercialmente ameaçadas”, 2 espécies“insuficientemente conhecidas” e outras 2 com estatuto “indeterminado”. Por último, 11 espécies constam da Convenção de Berna e 6 na lista vermelha da International Union for Conservation of Nature (IUCN,2008). Esta quantidade elevada de espécies marinhas com valor comercial está associada à riqueza económica desta região marinha, estando também a ser alvo de uma exploração bastante intensa. Quanto às espécies ameaçadas, é de salientar a sua importância para a definição dos critérios de gestão costeira e da conservação dos habitats e biótopos marinhos.